João Adolfo Guerreiro

Descobrindo a verdade/ sem medo de viver/ A liberdade de escolha/ é a fé que faz crescer.

Textos


5.113 dias de
Recanto das Letras


Boa noite, caros colegas de Recanto das Letras e amigos da literatura charqueadense. Hoje completo 5.113 dias aqui, isto é, 14 anos de interação literária virtual nesse site, ao qual fui apresentado pelo poeta charqueadense Dainor Lindner.

Desde 25 de abril de 2006, foram 861 textos publicados com 160.220 leituras, uma média de 186 por publicação e um texto publicado a cada seis dias. Não é muito, para os padrões da internet, mas para mim é extremamente significativo, pois conheci muita gente aqui (veja a imagem com os livros de alguns deles, mais abaixo), as quais não irei nominar pelo justo e pertinente motivo de sempre, ou seja, para não esquecer alguém. Afinal, 14 anos não são 14 horas e, tampouco, 14 dias, não é mesmo?

A foto que ilustra esse texto comemorativo eu tive a ideia de tirar agora pela noite mesmo, enquanto lavava a louça e limpava a casa. Recordei de um texto introdutório sobre Nicolau Maquiavel, de autoria de Maria Tereza Sadek, no livro Os Clássicos da Política - 1 (Ática, 1991), organizado por Francisco Weffort - é o que estou segurando na imagem. Fui direto onde ele estava na minha biblioteca, lugar íntimo em que sei onde está cada obra e o que elas contém. Na introdução, havia a citação de parte uma carta do autor de O Princípe a seu amigo Francisco Vettori, datada de 10 de dezembro de 1513, 507 anos atrás, que me impressionou muito na época, quando cursava Ciências Socias na Unisinos, início dos anos 1990.

Nela, Maquiavel, após relatar a sua rotina diária, queixando-se, pois, recém saído da prisão e sem emprego, estava sentindo-se exilado em sua própria propriedade. Finaliza: "Chegando a noite, volto à minha casa e entro no meu gabinete de trabalho. Tiro as minhas roupas cobertas de sujeita e pó e visto as minhas vestes dignas das cortes reais e pontifícias. Assim, convenientemente trajado, visito as cortes principescas dos gregos e romanos antigos. Sou afetuosamente recebido por eles e me nutro do único alimento a mim apropriado e para o qual nasci. Não me acanho ao falar-lhes e pergunto das razões de suas ações; e eles, com toda a sua humanidade, me respondem. Então, durante 4 horas não sinto sofrimentos, esqueço todos os desgostos, não me lembro da pobreza e nem a morte me atemoriza" (quem quiser a ler na íntegra, pode acessar esse link: http://www.alfredo-braga.pro.br/biblioteca/cartademaquiavel.html).

Bom, resolvi então fazer como o grande florentino hoje: trajar algo legal e tirar uma foto na biblioteca, a fim de registar a data, eis que ela é também meu refúgio de lazer e, nesses tempos de pandemia, de alívio da realidade e saúde mental. Entretanto, não possuía nada parecido com as vestes citadas por ele na carta, nem terno eu uso. O que fazer? Recordei dessa roupa adquirida numa convenção do Harry Potter a qual fui em novembro passado com minha família, na PUC, em Porto Alegre. Achei-a apropriada, até pelos livros serem objetos mágicos, capazes de levar a alma para lugares passados e futuros, comunicando-nos com pessoas que nunca vimos ou veremos, permitindo-nos um insofismável "alívio imediato", do qual Humberto Gessinger nos fala na canção. Então a foto, ilustrando o momento.

Então era isso. A esposa acabou de tirar do forno o pão para comemoramos os 14 anos na biblioteca, com a bebida ideal para o momento, que é, como vocês bem sabem, o café, não é mesmo, meus caros?

Um grande abraço para todos!

PS - Abaixo, links para alguns textos significativos desses 5.113 dias, que estão no meu site (http://www.souzaguerreiro.com) e duas fotos contendo alguns livros de autores recantistas, daqui de Charqueadas e gaúchos que aprecio, tanto pelos seus escritos quanto pela militância literária, essa arte que é vida ativa!

Literatura é vida! (acróstico, 28.04.06 - https://souzaguerreiro.com/visualizar.php?idt=146591)

- Primeiro texto:
Garçons não tem visão periférica - 2.364 leituras (crônica, 25.04.06)
https://souzaguerreiro.com/visualizar.php?idt=144803
- Texto mais acessado:
Cunhado não é parente - 11.012 leituras (crônica, 29.04.06)
https://souzaguerreiro.com/visualizar.php?idt=147496
- TOP 5: Cunhada não é parente? - 7.804 (crônica, 29.04.06); Aos que ficaram e aos que ficarão - 7.364 (poesia, 28.04.06); Colonização Açoriana: Festa de Santo Amaro marca os 225 anos - 6.767 (artigo, 14.01.07); Calígula - 3.465 (resenha, 06.02.10); e Fusquinha Rosa Choque - 3.400 (letra de música, 28.12.07).
- Texto menos acessado:
Dia do Trabalhador - 1 (artigo - 26.05.19)
https://souzaguerreiro.com/visualizar.php?idt=6657346

Para quem quiser conferir o que rolou nesses 14 anos no "Meu Diário" e nos "Áudios" do meu Site do Escritor, é só acessar o texto no link: https://souzaguerreiro.com/blog.php?idb=57736



João Adolfo Guerreiro
Enviado por João Adolfo Guerreiro em 25/04/2020
Alterado em 26/04/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras