João Adolfo Guerreiro

Descobrindo a verdade/ sem medo de viver/ A liberdade de escolha/ é a fé que faz crescer.

Textos


Tu ficaria 30 anos escondido para não morrer?

Houve um tempo no mundo e também no Brasil onde havia mais ódio e violência do que agora vemos nesse mesmo mundo e nesse mesmo Brasil. Um século atrás terminava a Primeira Guerra Mundial e vinha a Gripe Espanhola que, na verdade, era estadunidense, ou seja, o "good morning" fez a coisa e o "buenos días" levou a culpa. Mas eu me refiro ao ódio e a violência do entre guerras, há uns 80 anos, que gerou a Guerra Civil Espanhola, em 1936. Essa sim, 100% "buenos días".

A Guerra Civil Espanhola foi o ensaio para a Segunda Guerra Mundial, pois Stálin apoiou o governo espanhol e Hitler apoiou militarmente o nacionalista e fascista General Franco para retirar do poder a esquerda, aliada a comunistas e anarquistas, que chegaram ao governo pelo voto, numa eleição polarizada. Hitler também chegou ao poder pelo voto; Stalin, não. Ela terminou em 1939 e já começou o segundo conflito armado planetário do século XX. Eram tempos de cegueira ideológica, essa mesma que hoje é fraudulentamente reavivada, mais do que por cegueira, por canalhice de uns e ignorância de outros, eis que o comunismo atualmente é apenas um fantasma que mentes sofistas usam para seus propósitos necropolíticos, como vemos presentemente no Brasil e nos EUA, países campeões de mortes por Covid-19 no planeta.

Bom, os comunistas e anarquistas que não fugiram do país para não serem mortos, se esconderam. Alguns deles em casa. Os franquistas fuzilavam os opositores sem mais nem menos, sem julgamento nem nada. O governo fez o mesmo durarante a guerra, pois tal era, vê-se, uma prática comum das partes naquele conflito. Logo, os santos estavam de greve na Espanha, porque até os padres nacionalistas iam para o paredão, não houve perdão pra ninguém.

E contei tudo isso para falar de um filme espanhol que vi na Netflix, A Trincheira Infinita. Ele narra a história de um homem que ficou 30 anos escondido atrás de uma parede falsa em sua casa, para escapar da guarda nacional franquista. Isso mesmo, 30 anos. Tu ficararia 30 anos escondido num buraco para não morrer? O cara do filme ficou. E eu, obviamente, quis escrever sobre isso porque dá para fazer uma analogia com o momento em que vivemos, onde as pessoas dos grupos de risco tem de ficar em casa para não contraírem Covid-19 e morrer. Muito parecido. Vejo gente reclamando por ter de ficar uns meses isolados, a fim de sobreviver. Imagina, o comunista do filme ficou 30 anos em isolamento social total!!!

Uma boa pedida assistir A Trincheira Infinita para ver que, por incrível que pareça, desgraça pouca é bobagem e que já tivemos tempos bem piores no Brasil e no mundo, século passado. A questão é evitar cair nos mesmos erros de antanho, do tempo em que comunismo e fascismo eram coisas de verdade, não essas almas penadas provocando calafrios em nossos dias. Hoje, temos o neoliberalismo de extrema-direita e sua necropolítica, que ama o dinheiro e despreza a vida. Já basta, por si só, como desgraça real nesse momento de pandemia. Fiquemos em casa.
João Adolfo Guerreiro
Enviado por João Adolfo Guerreiro em 01/09/2020
Alterado em 01/09/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras