João Adolfo Guerreiro

Descobrindo a verdade/ sem medo de viver/ A liberdade de escolha/ é a fé que faz crescer.

Textos


Contaminação por coronavírus na Região Carbonífera/RS I

A partir da divulgação dos resultados da quinta fase da pesquisa coordenada pela Universidade Federal de Pelotas pelo Governo do RS - UFPel/GovRS, passamos a saber que a subnotificação de casos no Rio Grande do Sul, um dos graves problemas enfentados por aqueles que devem adotar medidas eficazes de contenção ao espalhamento do coronavírus mediante um diagnóstico realista, corresponde ao dobro dos casos notificados, ou seja, para cada caso notificado, existe mais um subnotificado, proporção estabelecida numa média dentro da margem de erro do estudo. O que faremos aqui, nesse artigo, é aplicar esse mesmo critério sobre os casos notificados nos municípios da Região Carbonífera e, assim, estrair o percentual de contaminados a partir dos casos reais estimados, o que seria algo mais próximo do real.

Isso se faz necessário porque a notificação oficial dos casos de covid-19 não dá conta da realidade do espalhamento do coronavírus entre a população, devido à supracitada subnotificação, cuja pesquisa UFPel/GovRS é o instrumento mais eficaz à disposição para estimarmos o quanto seriam, de fato, os "casos reais", isto é, quantas pessoas na realidade podem estar contaminadas. Os dados oficiais referentes a notificação de casos de covid-19 no RS são os da Secretaria Estadual da Saúde - SES/RS. Com referência à notificação de casos na Região Carbonífera, utilizaremos os números digulgados aqui pelo jornal Portal de Notícias. Os dados populacionais são os do IBGE de 2019. Atualização em 09 de julho de 2020, ao final da noite.

RIO GRANDE DO SUL - 11.372.239 habitantes
Casos notificados - 36.434
Casos reais estimados - 72.868
Percentual de contaminados - 0.64% da população

Por esses números, podemos ver que a proporção verificada na quinta fase da pesquisa UFPel/GovRS e divulgada dia 1º de julho de 2020, 0.47% de contaminados, subiu para 0.64%, dia 9.

REGIÃO CARBONÍFERA - 153.674 habitantes
Casos notificados - 569
Casos reais estimados - 1.138 
Percentual de contaminados - 0.74% da população

Os números indicam que nossa região está com um espalhamento superior ao do Estado. O número de óbitos até hoje verificado, 11, corresponde proporcionalmente ao de casos reais estimados, levando-se em conta que a taxa de letalidade real no Rio Grande do Sul, pela pesquisa UFPel/GovRS, é de 1.1%. A título de mensurarmos o peso, nesses números regionais, do surto verificado nas casas prisionais de Charqueadas, especificamente na Penitenciária Estadual do Jacuí - PEJ, observamos que, retirados esses 174 casos notificados, o percentual de contaminados na região cai para 0.51% da população. Todavia, não se pode ignorar tanto o peso desses casos pressionando a capacidade do sistema de Saúde regional quanto sua incidência no espalhamento do vírus, em virtude das pessoas que concomitantemente circulam pelas penitenciárias e pelas cidades e também pelo próprio trânsito de apenados para tratamento no hospital municipal.

CIDADES
Por contaminação proporcional:

1) Charqueadas - 40.789 habitantes
Casos notificados - 247
Casos reais estimados - 494
Percentual de contaminados - 1.21% da população

É o município com mais casos notificados e maior percentual de infectados da Região Carbonífera, que corresponde, proporcionalmente, ao dobro do índice verificado no RS, além de possuir o maior número de casos ativos de covid-19, 191 - Triunfo, em segundo lugar, soma 41 casos ativos. Nos dados referentes apenas a cidade, excluindo-se os números da PEJ (174), possui 146 casos reais estimados (73 notificados) e percentual de contaminados de 0.36%. O percentual de mulheres contaminadas é de 58%; no Estado, é 53%.

2) General Câmara - 8.385 habitantes
Casos notificados - 50
Casos reais estimados - 100
Percentual de contaminados - 1.19% da população

A segunda cidade da região com maior percentual de contaminados em sua população, quase dobra o indíce verificado no RS, embora seja a quinta em casos notificados.

3) Triunfo - 29.598 habitantes
Casos notificados - 112
Casos reais estimados - 224
Percentual de contaminados - 0.75% da população

Triunfo é a terceira cidade da Região Carbonífera em percentual de infectados, mas é a segunda em casos notificados, casos estimados e casos ativos de covid-19.

4) Minas do Leão - 8.075 habitantes
Casos notificados  - 24
Casos reais estimados - 48
Percentual de contaminados - 0.59% da população

Minas do Leão também apresenta proporção de casos abaixo do índice estadual, entretanto é a quarta em percentual de contaminados na região.

5) Butiá - 20.941 habitantes
Casos notificados - 54
Casos reais estimados - 108
Percentual de contaminados - 0.51% da população

Butiá é outro dos municípios da região com percentual de contaminados abaixo do estadual.

6) Arroio dos Ratos - 14.151 habitantes
Casos notificados - 30
Casos reais estimados - 60
Percentual de contaminados  - 0.42% da população

Sobre Arroio dos Ratos cabe salientar que o número de óbitos, 3, fica, proporcionalmente, muito acima da taxa real de letalidade estadual de 1.1%, levando-se em conta o baixo número de casos reais estimados na cidade.

7) São Jerônimo - 24.248 habitantes
Casos notificados - 51
Casos reais estimados - 102
Percentual de contaminados - 0.42% da população

Juntamente com Arroio dos Ratos, São Jerônimo é a segunda cidade da região com menor percentual de contaminados.

8) Barão do Triunfo - 7.487 habitantes
Casos notificados - 1
Casos reais estimados - 2
Percentual de contaminados - 0.02% da população

Em Barão do Triunfo encontramos uma realidade a ser comemorada: o mais baixo percentual de contaminados da região e o menor número de casos notificados.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Pelos números acima, vemos por que a Região Carbonífera está com a maior parte de suas cidades sob a bandeira vermelha no critério do Modelo de Distanciamento Social adotado pelo governo gaúcho. Ante essa realidade crescente, num quadro onde não chegamos ainda a 1% da população contaminada e já enfrentamos no Rio Grande do Sul até problemas de falta de analgésicos para intubação em algumas cidades importantes, tendo de buscá-los em veterinárias, conforme o noticiário revela, o que se pode fazer para evitar o colapso do sistema de Saúde e o consequente aumento da taxa real de letalidade é seguir as orientações dos governos municipais e estadual de isolamento social, uso de máscara, distanciamento social e rigor nos protocolos de higiene. Só assim vamos salvar vidas importantes e preciosas enquanto uma vacina ou tratamento eficazes não surjam. Estamos com ocupação de 73% de nossa capacidade de leitos, conforme a SES/RS. E repetimos: o RS ainda não chegou a 1% de sua população contaminada.

Não podemos deixar a covid-19 tomar conta da região! Fiquem em casa, fiquem com Deus.



Artigo publicado no site do jornal Portal de Notícias https://www.portaldenoticias.com.br/colunista/53/cronicas-artigos-joao-adolfo-guerreiro/
João Adolfo Guerreiro
Enviado por João Adolfo Guerreiro em 09/07/2020
Alterado em 11/08/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras