João Adolfo Guerreiro

Descobrindo a verdade/ sem medo de viver/ A liberdade de escolha/ é a fé que faz crescer.

Textos


Festa de louvor a Santo Amaro festeja colonização açoriana

Tiveram início dia 6, no Distrito de Santo Amaro do Sul, situado no Município de General Câmara, Estado do Rio Grande do Sul, as novenas que antecipam a festa em louvor a Santo Amaro, que acontece neste dia 15.
Há mais de dois séculos, o dia 15 de janeiro é marcado pelas festividades de Santo Amaro, sendo que fiéis de todo o país visitam o Distrito (que fica a 75 quilômetros de Porto Alegre) agradecendo por graças alcançadas ao santo.
O evento está sendo organizada pela Prefeitura Municipal de General Câmara, Comude, Secretaria de Educação e Cultura, Irmandade de Santo Amaro, Instituto Cultural Português, Lions Clube, ACI e Clubes de Mães, com participação dos municípios de Triunfo, Taquari e Rio Pardo.
Simultaneamente à programação da Festa de Santo Amaro, acontece a Semana Cultural Açoriana comemorando os 225 anos do povoamento açoriano no Estado do Rio grande do Sul (vide texto abaixo).
As novenas, que encerram hoje (14), homenageiam as ilhas de onde partiram os povos açorianos em direção ao Rio grande do Sul. Depois de cada novena ocorreram apresentações de grupos folclóricos, grupos tradicionalistas e ternos de reis, com comidas típicas portuguesas servidas pelos clubes de mães e Hotel Coqueiros.
Hoje (14) está acontecendo a Romaria de Fé, com saída às 18 horas do Município General Câmara, há 16 quilômetros do Distrito de Santo Amaro.
Às 21 horas acontece a procissão luminosa e às 21h30min a novena em homenagem à Ilha do Corvo.
Amanhã os festejos iniciam às 6 horas da manhã e se estendem com missa festiva, procissão, leilões de animais, bailes, inauguração do monumento alusivo aos 225 anos do povo açoriano no RS, homenagens a personalidades de destaque na cultura e folclore açoriano no Estado.
Informações pelos telefones (51) 3655-1399 e 3614-3057.

Igreja Santo Amaro: Referência arquitetônica

"Construída em 1787, a Igreja de Santo Amaro, em General Câmara, é uma referência da arquitetura portuguesa no Rio Grande do Sul. A Vila Histórica de Santo Amaro, onde fica o templo católico, foi fundada por engenheiros militares portugueses. Ela está no caminho percorrido pelos portugueses e colonizadores que subiram o Rio Jacuí, em direção às Missões, para fundar os Sete Povos, definindo as fronteiras do sul do país."

"Os 1,1 mil habitantes que hoje vivem na vila estão rodeados pela história. Desde 1998, a igreja e outras 14 construções são tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Até hoje, a Vila Histórica de Santo Amaro é, no Estado, o único conjunto de arquitetura tradicional luso-brasileira tombado, remanescente do século 17."
(ZH)

Distância de Porto Alegre: 75 km

Fontes:
Jornal Portal de Notícias (www.portaldenoticias.com.br)
Jornal A Região (www.regiol.com.br)
Jornal Zero Hora (www.clicrbs.com.br/jornais/zerohora - Clique, na coluna "especiais", em "melhor do rio grande", página "19").

Estive lá e conto pra vocês


Hoje, dia 15, eu fui a Santo Amaro conferir a festa.
Em primeiro lugar, tudo o que está no artigo acima aconteceu.
Cheguei e a missa já estava acontecendo, no lado de fora da Igreja, que está em reformas, financiada pelo BNDES (800 mil reais). 
O bispo conduzia o ritual, com presenças do presidente da Assembléia Legislativa, do prefeito de General Câmara, do cônsul de Portugal, dos vereadores locais, secretários municipais, representantes da irmandade mantenedora da Igreja, representantes do Núcleo de Cultura da Cidade de Venâncio Aires, dentre outros.
Como a igreja está em reforma externa e interna, seu aspecto está meio "de obra", o que se vê logo pela fachada, com a pintura combalida (repare bem na foto acima e perceberá, só que agora está mais afetada) e as janelas tapadas com madeira. Aconselho a quem quiser visitar a Vila esperar pela conclusão das obras, pois daí a Igreja valerá a pena ser vista, não tanto por ser algo de beleza ímpar, mas por ter o seu encanto (tem estilo eclético, com características da arquitetura luso-açoriana e elementos barrocos) e um grande valor histórico.
A vila é bem coisa de interior e vale pela antiguidade. Para quem curte esse tipo de turismo, não é "nenhuma brastemp", mas é legal e vale a pena.
Depois da missa lá se foram as autoridades inaugurar o monumento alusivo aos 225 anos da colonização açoriana, sob o sol escaldante do meio dia. Discursos, entregas de troféus, essas coisas. Ah, o monumento é a representação, em uma chapa de ferro, de uma caravela.
O artesanato local não oferece lembranças de qualidade e, pelo menos no dia, não encontrei comidas típicas portuguesas. Inusitado: em frente da Igreja, tinha uma banca de "Batidas Capeta" (bebidas com alcóol, tradicionais por esta região). Achei estranho, mas tudo bem. Ninguém ali parecia estar ligando para isso.
A vila histórica fica ao entorno da grande praça em frente a Igreja, mescalando construções antigas e casas atuais.
O melhor é vir de carro para a festa, visto que as linhas de ônibus para lá saem de General Câmara e não são muitos horários, sendo que o último é as 20 horas.
Tem um hotel e restaurante lá, o Coqueiros. Simples mas de bom aspecto. Por 90 reais a diária de casal você fica por lá no final de semana, com café da manhã, almoço e janta já incluídos no preço. Aos interessados, o fone é (51) 3501 9665.

Bueno, fora as novenas e a festa, o que tem mais?
Tem a praia do Rio Jacuí, com a água barrenta típica da região, mas limpa. O camping é bem popular. Para quem curte uma praia de rio sossegada, é "o canal", como dizia a "magrinhada" dos anos 80 em Porto Alegre.
Dali dá para ir a pé até a barragem de Santo Amaro, ver os navios entrar e saír do dique nivelador (achei bem legal), subir nas instalações, bater fotos, tudo na maior liberdade.  O local pertence ao Ministério dos Tranportes e pode ser visitado das 08h30min às 17 horas.
E é isso pessoal.
Com relação a festa achei que a prefeitura de General Câmara poderia investir mais no evento. Para vocês terem uma idéia, a prefeitura não possui página na Internet, o que dificulta obter-se informações. Não encontrei folders sobre o evento na minha cidade, que fica próxima a General Câmara e, hoje, também não encontrei nada, nenhuma barracada prefeitura com informações.
Ah, tem um prédio que abriga a casa de cultura da Vila, mas estava fechada.
Assim, finalizaria dizendo que é legal ir lá e vai estar bem melhor quando a restauração da Igreja de santo Amaro estiver pronta. 
Se a prefeitura investir mais, então, creio que a festa tem um potencial bem maior para ser explorado.

Para quem se liga em detalhes históricos, vou colocar algumas informações, em ordem cronológica, que constavam nos banners expostos no interior da Igreja, organizados pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) e Núcleo de Cultura de Venâncio Aires (NUCVA), dentre outras entidades.

1752 - Fundação da Vila, dois anos após o Tratado de Madri.
1755 - Chegada dos primeiros casais açorianos.
1763 - Já existiauma Capela na Vila, que é elevada a condição de Curato, sendo o padre João Ferreira Rodrigues o seu titular.
1773 - Segundo levantamento da época, Santo Amaro contava com 6.880 habitantes, sendo 6.125 católicos e 763 protestantes. No dia 12 de abril, nasce José Gomes de Vasconcelos Jardim, herói da Revolução Farroupilha e primeiro presidente da rebelde República Rio Grandense.
1774 - O engenheiro Alexandre José Montanha vem a Santo Amaro para demarcar terras, ruas,praça e local de construçãoa atual Igreja de Santo Amaro, organizando a urbanização do povoado.
1787 - Término da construção e inauguração da Igreja.
1871 - É decretada no Brasil a lei do ventre livre. Os negros escravos foram mão-de -obra predominante na construção da Vila.
1881 - Santo Amaro vira município.
1930 - Nesta década Santo Amaro volta a condição de Vila e torna-se Distrito de General Câmara.
1974 - Conclusão das obras da atual Barragem de Santo Amaro.
1998 - Tombamento da Vila e da Igreja.


----- * -----

Tenho publicado com mais frequência no
MEU DIÁRIO
www.souzaguerreiro.com/blog.php
João Adolfo Guerreiro
Enviado por João Adolfo Guerreiro em 14/01/2007
Alterado em 10/05/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (você deve citar a autoria de João Adolfo Guerreiro). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras