João Adolfo Guerreiro
Descobrindo a verdade/ sem medo de viver/ A liberdade de escolha/ é a fé que faz crescer.
Capa Meu Diário Textos Áudios Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Meu Diário
17/01/2021 19h22
Valeu, governador João Dória

Hoje, tão logo a Anvisa liberou a "vacina chinesa do Dória e do Butantan" e a da "Oxford e da Fiocruz", o governador paulista João Dória, com todo o direito, liderou a vacinação da primeira pessoa contra Covid-19 no Brasil, uma enfermeira negra, de 54 anos, com comorbidades. Muito obrigado, governador, sem o seu empenho, planejamento e determinação não teríamos uma vacina hoje. Meus pais, meus sogros, eu e milhões de brasileiros passam a ter uma esperança concreta de proteção à vida devido ao seu trabalho.

E isso ocorreu no dia do aniversário de 76 anos do meu sogro Pedro Noé, ele que é diabético - há quase 40 anos - e cardíaco. Meu cunhado Denílson veio avisar da vacinacão em São Paulo, noticiada pela Rádio Gaúcha, destacando que foi no dia do aniversário de seu pai. O sogro caminha todos os dias há 38 anos, toma bastante cuidado e segue as recomendações da ciência e da medicina desde sempre. Agora, tomará a vacina e terá muitos anos para ficar na rede com o seu neto Artur.

Deus seja louvado!

-----

Agora á noite conversei com a mãe e ela estava 100% lúcida. A Emília estava com ela. Realmente um dia abençoado.

 

Publicado por João Adolfo Guerreiro
em 17/01/2021 às 19h22
 
15/01/2021 16h42
Reflexão

Não importa o que será amanhã, mas sim o hoje. Buscar força consiste em fixar-se no dia que se vive, independente das possibilidades para o dia seguinte. É como saber que a morte é certa no futuro, mas não pensar nela, acreditando que se tem ainda muito tempo. Esse é um dos segredos de aliviar a cabeça. A força que vem de Deus é isso: ter fé no futuro, independente do que aconteça. Essa fé nos dá força e retira a pressão e o medo. Mesmo que o pior aconteça, passamos bem a vida e isso é o que importa: viver de boa o tempo em que se está aqui.

-----

Ontem à noite a Emília enviou um vídeo da mãe. Fraca e com alguma dificuldade em falar, ela fez uma breve mensagem, ao ver a situação de Manaus na TV do quarto de hospital, desejando fé de todos e dizendo que vamos passar, todos, por essa situação difícil. A mãe é forte de coração, que ser humano.

Publicado por João Adolfo Guerreiro
em 15/01/2021 às 16h42
 
15/01/2021 16h05
Dudu e Pérola morrem atropelados

A foto acima foi tirada nessa semana: flagramos o Dudu (ou Samuca) dormindo na cadeira de praia da minha sogra, dona Eva, e a Rosilane fez o registro em seu celular. A foto abaixo também é dele, se refrescando na sombra num dia quente pouco antes de 11 de dezembro (quando publiquei uma crônica no Portal de Notícias usando essa imagem feiya pela Rosilane - https://www.recantodasletras.com.br/cronicas/7133156).

Pois hoje pela manhã, tomávamos café e ouvimos vozes altas oriundas da casa dos meus sogros e reconheci sendo as do meu cunhado mais velho, Denilson, e da dona Eva, em prantos e desepero. Foi chegar na janela e ver que o Dudu e a Pérola Negra, cadelinha nova do seo Pedro, foram atropelados e que era sério. A cachorra estava no chão e visivelmente sem vida, enquanto o Denilson carrega o Dudu nos braços e dizia que o coração dele ainda batia, levando-o para o tanque a fim de molhá-lo. A Rosilane ficou muito abalada e perguntou o que era, disse para que ela não olhasse.

Tentei ligar para o Júlio, veterinário, mas ele não atendia. A situação do Dudu também era sem volta. Seo Pedro se sentindo muito culpado, pois mantinha a cadela preta e branca a maior parte do tempo presa, só a soltava um pouco pela manhã e então aconteceu. O Denilson viu um caminhão atropelar os dois na rua, em frente de casa, quando estavam junto com o seu cão todo preto, o Meia Noite (ou Fiel, como ele também o chama), que escapou por pouco, segundo ele. Essa coisa de cães e gatos machos morrerem atropelados por aqui é comum, inclusive parei de criar gatos por isso; só tenho gatas, que ficam somente no pátio.

Justiça seja feita que os meus sogros não pegam bichos para criar, eles aprecem na casa deles, da rua, e por ali se arrancham. Foi o caso do Dudu, que a sogra disse, aos prantos, que "veio do Céu para mim" - eram muito apegados, ela e o cão, E ele era um cão da rua, muito experto, foi susrpresa ter sido atropelado assim em tão pouco tempo - estava nem a dois anos aqui. O cunhado Perinho, quando soube, veio aqui com o filinho Artur, enterrar a cadela - o Dudu o Denilson enterrou, embaixo da janela do quarto da sogra, a pedido dela - e o Júlio me ligou e disse para ele vir, mesmo que os animais estivessem mortos, para falar com meus sogros. E ele fez isso muito bem: com uma boa argumentação, convenceu o meu sogro que ele não possuía culpa, pois fora o destino, eis que até o Dudu, cão de rua, fora surpreendido. Conversou também com minha sogra que, com a chegada do netinho, se acalmou.

Ontem, inclusive, a Rafaela, cunhada do Pedrinho, irmã da Manuela, veio buscar a Pérola para dar banho na petshop pela primeira vez. Ia castrar ela, futuramente. Que lástima, meu sogro perdeu recentemente, em poucos meses, o irmão mais novo e a irmã mais velha. Ficou abatido com mais essa, a perda da cachorinha que ela estava cuidando com zelo. 

Essa não está sendo uma passagem de ano com boas notícias e acontecimentos. Espero que melhore.

 

Publicado por João Adolfo Guerreiro
em 15/01/2021 às 16h05
 
14/01/2021 23h33
300 dias de isolamento social

Hoje, 14 de janeiro de 2021, quinta-feira, completamos 300 dias em casa, sem sair. Cumprimos isolamento social rigoroso. Tem outro jeito de se defender do vírus? Não. Ainda não. Dependemos da chegada da vacina salvadora, nossa esperança. O isolamento social deveria estar na ordem do dia em todo o Brasil!

Todavia, o contágio crescendo, a segunda onda vindo com vigor e as pessoas circulando, indo à praia, o prefeito de Porto Alegre liberando tudo e o governo federal insistindo com o Enem, mesmo depois da morte de um dos coordenadores do Inepe por Covid-19. Que tremenda insensatez tudo isso.

-----

Hoje minha irmã não deu notícias da mãe. Falei com a Araci às 08h. Disse que a mãe ficou fora do ar até às 05 da manhã, depois dormiu. A Emília foi pra lá às 6 da manhã.

-----

A Joana e o Jessé viriam aqui em casa amanhã. Cancelaram, pois a mãe de um colega de serviço do Jessé está com Covid-19. O colega vai testar. Eles acharam melhor não aparecer por uns dias, enquanto isso. Liguei pra Joana e pedi para ela fazer um teste, nem que seja particular. Ela tem 23 e ele 25, são jovens, não estão com sintoma algum, mas essa doença não deixa ninguém tranquilo.

-----

Acessei o Facebook agora e soube do horror que está em Manaus, com a falta de oxigênio nos hospitais colapsados e as pessoas morrendo. Nem sei o que escrever sobre isso. Que horror, isso é o horror. A que ponto chegamos.

Publicado por João Adolfo Guerreiro
em 14/01/2021 às 23h33
 
13/01/2021 20h21
Ligação surpresa maravilhosa

Hoje às 08h minha mãe ligou do hospital para o telefone da Rosliane, para minha surpresa, eu que estava muito triste. Muito lúcida, o mais que a ouvi desde o dia 31 de dezembro. A cuidadora, Eva, fez a ligação pra ela.

Cantou um pouco, disse que encontrou uma médica cantora, reclamou que o seu repertório está defasado e que eu tenho que atualizá-lo pra ela - mencionou Chico Buarque, entre outros. Cantou uma canção do Noel Rosa e eu reconheci, ela ficou faceira e disse que eu era um ás da música. Respondi que era de tanto ter ouvido e lido os discos da História da MPB que ela comprava quando estudava música no Palestrina, em Porto Alegre, nos anos 70 e 80.

Mãe, mãezinha querida, na dificuldade - na imensa dificuldade e stress pelo qual está passando, com a saúde muito frágil - é forte e positiva, sempre. Mulher admirável. Disse pra mim ligar pro pai, mas nas duas vezes que tentei, uma tocou até cair e outra nem chamou.

Fiquei emocionado. E aprendi mais uma vez com essa mulher de espírito forte e determinado que é a minha mãe, mesmo que o seu corpo esteja tão frágil e debilitado: uma lutadora, na acepção total desta palavra.

PS - Entretanto, a coisa está assim desde o dia 31, conforme a Emília. Ela alterna poucos momentos de lucidez com momentos de delírio ou de sair do ar. Acabei de ligar (21:20h) para a prima Araci, que está com mãe no hospital, e ela me informou que a mãe "saiu do ar" de novo desde as 13 horas.

 

Publicado por João Adolfo Guerreiro
em 13/01/2021 às 20h21
Página 9 de 142
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 »