João Adolfo Guerreiro
Descobrindo a verdade/ sem medo de viver/ A liberdade de escolha/ é a fé que faz crescer.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Sexta-feira 13

Amanheceu chuvosa a Sexta-feira 13 naquela cidade do interior, sem sol, com um céu cinza escuro. O gato cruzou a estrada, passou por debaixo da escada e entrou na lancheria, na intenção de ganhar algum agrado dos clientes que lá estavam, conversando animadamente. O assunto, como quase sempre, era futebol.


- A última vez que o Inter foi campeão brasileiro o ABBA ainda existia, eh eh eh eh eh eh – troçou João.
- E o Boney M também – replicou Alexandre.
“By the rivers of Babylon, there we sat down / Ye-eah we wept, when we remembered Zion” – cantaram, em coro, zoando Beto, o único colorado da turma.
- Na última vez que o Inter foi campeão brasileiro, Figueiredo era o presidente do Brasil! – tascou Cris.
- A Vera Fischer ainda era uma gatinha – lembrou João.
- Eu ainda nem tinha pelos pubianos – gracejou Cris.
Alexandre resolve levar o assunto para política, repentinamente:
- Vocês viram que o Lula foi preso no mesmo dia que a mulher dele fazia aniversário?

Nisso cai a luz na lancheria. Todos ficam quietos, entreolhando-se. Beto rompe o silêncio e fala pela primeira vez:
- Ih, tu falou da morta e faltou luz bem na hora. E hoje é Sexta-feira 13. Tá ralado!
- Mas bah, não me roga praga, colorado – replicou Alexandre.
- E o número do Lula é 13... – emendou Cris.
- Tu também, é?
- Vocês parecem que estão com o demônio no corpo hoje, agora quero só ver – insistiu Beto, magoado e vingativo.
- Não fala o nome do coisa ruim hoje que dá azar, colorado – atravessou João.
- Não te preocupa, vou te benzer – brincou Beto.
- Não, não, não, eu me benzo com essa daqui – respondeu João, pegando de sua mochila uma Bíblia com capa em couro cor-de-rosa, com fecho, letra gigante. Ninguém teve a coragem ou a ousadia de fazer troça com a cor do livro sagrado.

Dona Vera, proprietária do estabelecimento, propõe:
- Gente, por via das dúvidas, vamos ler o Salmo 91, para tirar qualquer energia negativa daqui?
Todos se levantam e vão para o balcão, onde João lê o salmo. Ao fim, Alexandre pede:
- Lê aí também Isaías 49, de 1 a 7.
Ao término da leitura, Alexandre diz que uma vez sonhou com essa parte e concluiu que Deus tinha dado uma mensagem pra ele.
- Sei – disse Beto, zombeteiro.
- Bom, então deixa eu ler uma do meu xará, João – disse o homônimo, lendo todo o capítulo 12.

Estavam compenetrados naquele momento bíblico quando chega Perereca, pisa no rabo do gato, que dá um miado de dor e sai em disparada. Todos olham para Perereca, que é o bicheiro da turma:
 
- Ih, pessoal, desculpa, foi mal. Mas alguém aí quer fazer uma fezinha? O gato é 14. Mas como hoje é Sexta-feira 13, indico também o 613, sequinho, na cabeça.




Texto publicado no jornal POrtal de Notícias em 13 de abril de 2018: http://www.portaldenoticias.com.br/ler-coluna/562/sexta-feira-13.html
 
João Adolfo Guerreiro
Enviado por João Adolfo Guerreiro em 18/04/2018
Alterado em 18/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (você deve citar a autoria de João Adolfo Guerreiro). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários